May 26th, 2018

[6º Capítulo] O Tempo de Ontem

tempo_passa

Ainda sem entender o que aquele rapaz estava falando, Thiago mais uma vez o interrogou:

— Então quer dizer que você é meu parente que ainda não o conhecia? Por acaso é algum primo distante? De onde você veio? Por favor, me explique com mais clareza, pois continuo sem entender! Diante daquelas perguntas, Jean decidiu não explicar mais e apenas pediu para que ele fosse atrás da sua felicidade e principalmente da mulher da sua vida:

—Não posso falar muito ao meu respeito e nem mesmo do meu parentesco, mas peço que tome muito cuidado com as pessoas ao seu redor e vá atrás da mulher que te ama de verdade antes que seja tarde. Ao falar aquelas palavras, Jean mais uma vez deu um forte abraço no Thiago e saiu de lá bastante emocionado, diante daquela cena, Thiago ficou mais confuso ainda, mas viu que aquele rapaz queria ver o seu bem e também sentiu que o abraço do Jean lhe trouxe paz, uma sensação acolhedora, afetiva e familiar. Vendo aquela reação do amigo, Junior logo começou a aconselha-lo:

—Meu caro já disse que tome cuidado com esse moleque, pois ele é muito estranho e parece que não tem juízo certo, na qual fala coisa sem sentido, acho melhor você chamar a policia para te proteger, pois sinto que esse cara estar se aproximando para te dar algum golpe. Diante daquelas palavras, Thiago não deu ouvidos e continuou a caminhar em direção a sua casa, mas não esquecia dos conselhos do jovem Jean.

Enquanto isso, o estudante Duênio já estava pronto para ir até a faculdade para fazer o trancamento da sua matriculo do curso, e ao passar na cozinha viu a sua mãe cabisbaixa e com um semblante de triste, ao ver aquilo, o jovem rapidamente foi em sua direção e logo perguntou:

—Minha mãe por que esta assim desta maneira? Não fique triste, pois só vou apenas trancar o curso, adiar por algum tempo a minha formação, não posso estudar neste momento na qual estamos passando por uma fase financeira, mas em breve retornarei aos estudos e vou conseguir me forma como bom advogado. Ao ouvir estas palavras, aquela humilde mãe deu um grande abraço no seu filho e assim que se despediu da sua mãe, Duênio seguiu caminho para sair, mas ao passar na sala de estar, ele se deparou com o seu pai ZITO, que se encontrava sentado no sofá bastante deprimido, imediatamente Duênio foi em sua direção e tentou consola-lo, mas Zito estava muito abatido, triste e principalmente indignado com a maneira que foi dispensado do seu trabalho e com uma voz roca começou a desabafar para o seu filho:

—Estou muito triste com tudo isso, pois agora estou sem emprego, sem renda para colocar dentro desta casa e pior ainda não vou poder ajudar nas mensalidades do seu curso que tanto queria vê-lo ser doutor da lei. Mas estou mais chateado ainda da forma que fui demitido, na qual depois de muitos anos de serviço na prefeitura como faxineiro, fui humilhado pelo próprio prefeito desta cidade, fui injustamente prejudicado, estou muito triste por ter saído desta maneira sem mesmo me defender por uma coisa que não fiz  .Ao ouvir aquilo, Duênio ficou bastante irritado e pediu mais explicações ao pai sobre a sua demissão, mas Zito não quis mais falar sobre o assunto, então Duênio rapidamente saiu em direção a prefeitura e ao chegar no local pediu para conversar com o prefeito, mas foi impedido pelos seguranças, diante daquela situação Duênio criou coragem e driblou os guardas e foi direto para o gabinete e ao abrir a porta viu o prefeito Leconde tranquilamente sentado ao lado de sua filha, onde ambos estavam bebendo um vinho importado, sem entender nada, Leconde pediu explicações sobre a invasão:

—Mas o que significa isto? O que este rapaz faz aqui e como conseguiu entrar desta maneira no meu gabinete? Quero explicações! Imediatamente Duênio não mediu palavras e começou a falar:

—Este lugar é publico e pode entrar qualquer cidadão de bem desta cidade, estou aqui para pedir explicações a respeito da demissão injusta do meu pai que há anos trabalhou aqui! Sei muito bem que o senhor guarda muito segredo neste gabinete e principalmente muito dinheiro publico desviado e sendo gasto a toa por você e a sua família. Acho que meu pai sabia muita coisa deste lugar e por isso o colocaram para fora, mas saiba que vou botar a boca no trombone e todos saberão quem é de verdade o prefeito Leconde!

por Sérgio Dantas

[ 5º Capítulo] O Tempo de Ontem

[ 7º Capítulo] O Tempo de Ontem

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Close